terça-feira, 16 de julho de 2013

E AGORA, JOSÉ?





Wilson Ibiapina

Quando o país inteiro se prepara para Copa do Mundo 2014 automaticamente sou levado a 1958, ano em que o Brasil ganhou pela primeira vez o título de campeão do mundo. Nem dá para esquecer aquela tarde de 29 de junho. Era dia de São Pedro, última festa junina comemorada com fogos de artifício.

Em Fortaleza, Fransquinho e seu irmão Flávio Pessoa organizaram tudo na casa deles, na Clarindo de Queiroz, em frente à praça São Sebastião. Na sala, o recém adquirido rádio vitrola Telefunken, som HiFi, ligado numa emissora do Rio que transmitia a partida. Não existia televisão. O som ia e voltava cheio de ruídos. Ouvia-se mais chiados do que a voz do locutor. Garrincha, o melhor do time, era de uma ingenuidade sem igual. Chegou a vender bem baratinho um rádio portátil que adquirira, uma novidade que o Brasil não conhecia. Os colegas disseram a ele, de gozação, que o rádio só falava sueco. Naquele tempo, os atletas só pensavam em jogar bola, ao contrário dos de hoje que pensam mais em dinheiro e fama do que em futebol. 

Quando o juiz francês apitou o final da partida, o Brasil ganhava de 5x2 e era o melhor do mundo. Um amigo nosso, Airton, foi pra calçada, tirou uma bomba rasga-lata do bolso e riscou numa caixa de fósforo. Em meio a euforia da vitória, jogou a caixa de fósforo fora e a bomba explodiu levando seus dedos. A copa marcava também a estreia de um jovem de 17 anos, Pelé, que depois se transformou no maior craque do planeta. A glória da chamada era Garrincha foi vista de novo no Chile em 1962. Na final contra a Tchecoslováquia, Garrincha jogou com 38 graus de febre. 3X1.

A Copa foi ganha pela terceira vez em 1970, na Cidade do México. Brasil 4x1 Itália. A Taça Jules Rimet ficou definitivamente no país. Depois foi roubada e nunca mais se teve notícia dela.

Aí, o Brasil amargou um jejum de 24 anos. Só em 1994 a seleção canarinha voltaria a disputar a final de uma Copa. E lá está a Itália de novo como adversária. A exemplo do que ocorreu no México, os italianos perderam e o Brasil voltou dos Estados Unidos com o tetracampeonato. 

A Copa de 2002 foi na Ásia com os jogos no Japão e na Coreia do Sul. No último jogo contra a Alemanha, Ronaldo fez dois gols e o Brasil virou pentacampeão. Somos o único país a ganhar copas nos três continentes onde a competição foi realizada: Europa, América e Ásia.

E agora, José, perguntaria o poeta Drummond. Em 1950 a festa acabou no Maracanã com a vitória do Uruguai.”A luz apagou/ o povo sumiu/ a noite esfriou/ E agora José?”

2014 vai acabar de novo no Maracanã. 'E agora, você que é sem nome/ que zomba dos outros/você que faz versos/ que ama protesta/ E agora José?”

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...