sexta-feira, 27 de dezembro de 2013

OLHOS AO SOL




As pessoas passam o ano se preparando para o Verão. Vão malhar nas academias para poder mostrar o corpo em forma nas praias e compram também protetor solar para a pele. Poucos lembram dos olhos. O dr. Mata Machado, renomado  Oftalmologista mineiro e que trabalha em Brasília, preparou este artigo que vai mudar seu comportamento diante do Sol.

 Sol 
 Mata Machado *

Luz Ultravioleta. Soa bonito. Envelhecimento 

precoce, feio. Câncer de pele? Muito pior. O que 

têm estas palavras em comum? O sol. Acho que todos 

conhecem esta correlação, mas poucos se preocupam com 

ela. Quase ninguém quer ficar muito tempo longe do 

sol. Quem gosta de ter um céu sempre encoberto? Há 

os que se sentem deprimidos com esses dias. Todos 

aplaudem o verão. E o brasileiro tem o seu lado 

tropical na alma. Aliás, muitos povos em todos os 

tempos veneraram o sol que para alguns, era deus.

 O sol responsável pela vida na terra faz com 

sua luz visível, crescer as plantas e no mar, os 

fitoplanctos. Com a fotossíntese tem-se vida vegetal, 

oxigênio, alimentos e por consequência, vida animal. 

Por causa do sol ficam os astrônomos à procura 

de outros planetas: um corpo celeste girando em 

torno de uma estrela. Em um sistema desses poderia 

existir vida. Vida, o misterioso, maravilhoso, raro, 

senão único acontecimento em milhões de galáxias, 

não necessariamente explicado pela crença em deuses, 

mas com certeza pela crença nos fenômenos estelares. 

Não é complicado: as estrelas são magníficas usinas 

de energia e matéria, resultantes de um fenômeno 

conhecido: a fusão nuclear. A partir do hidrogênio, 

elemento mais simples da natureza, formam-se nas 

estrelas, elementos maiores. É a fusão nuclear que 

cria os pesados e complexos elementos como carbono, 

ferro, oxigênio e tantos outros, imprescindíveis à 

vida. Por obra dos seres vivos, moléculas complexas, 

derivadas daqueles elementos, são sintetizadas: 

carboidratos, gorduras, aminoácidos, proteínas, RNA, 

DNA, por exemplo.

Falamos tudo isto apenas para voltarmos ao sol. 

Para lembrarmo-nos, poética e efetivamente que somos, 

em última análise, o produto de fornos estelares! 

Somos o resultado da luz e da fusão nuclear do nosso 

sol e quem sabe, de outros distantes sois. 

O sol, criador de matéria da vida, fonte de 

energia e da luz. Luz branca, luz ultravioleta, luz 

infravermelha. Na pele a luz ultravioleta inicia 

a síntese da vitamina D. A vitamina D influe 

na imunologia ou defesa. A vitamina D também é 

responsável pela absorção do cálcio. O cálcio é 

necessário aos ossos e músculos, incluindo o coração.

 Luzes invisíveis afetam a pele. A luz 

infravermelha causa queimaduras, a ultravioleta (UV) 

pode dar câncer, e nos envelhecer precocemente. Aos 

olhos a radiação UV pode causar grandes danos. Tal 

radiação está presente inclusive nos dias nublados 

e em algumas luzes artificiais como as das lâmpadas 

fluorescentes.

Eis o que as luzes ultravioletas nos causam nos 

olhos:

1. Degeneração macular

 Doença da parte mais importante da retina 

(aquela responsável pela visão de detalhes e de 

cores). Não tem tratamento efetivo. 

2. Lesão nas lentes oculares 

faz aparecer uma afecção muito desconfortável e 

comum, com sensação de areia, olhos vermelhos e 

intolerantes à luz – irritados, como se diz. E 

também o pterígio – uma membrana avermelhada, que 

sai do canto do olho, começa a cobrir a córnea 

e, além de roubar a beleza de um olhar, causa 

distorção importante nas imagens focalizadas por 

esta refinada lente. 

catarata. A nossa magnífica lente intraocular 

perde com a prolongada exposição à luz 

ultravioleta o seu caráter mais peculiar e que 

lhe deu o bonito nome. Torna-se manchado ou opaco 

e é a maior causa de cegueira no mundo 

(reversível, com cirurgia). Está comprovado: a 

Na córnea, a exposição inadequada ao sol 

O cristalino sofre um prejuízo maior: 

incidência de catarata é seis vezes maior nas 

pessoas expostas sem proteçào à luz ultravioleta.

Tomemos sol no corpo, mas com proteção: cremes 

anti UV para o rosto, chapéus, bonés, óculos de sol.

Se o uso de óculos solares é corriqueiro, seja 

pelo conforto e proteção que oferecem, seja por uma 

questão fashion (como gostam de falar quem gosta de 

estrangeirismos), não nos esqueçamos jamais de 

proteger também os olhos das crianças. Por dois 

motivos: seus cristalinos filtram menos a luz, então 

mais UV chega à retina; e, jovens estarão muito mais 

tempo expostas aos efeitos deletérios cumulativos 

dessas radiações.

Mas como é que se pode ficar com a cor que só o 

sol nos dá? Acho que você está querendo se lembrar 

da palavra que vem de um costume tão velho quanto o 

uso daquela liga metálica que, antes do plástico, do 

alumínio, do aço inoxidável e do titânio, estava em 

todos os objetos, instrumentos e máquinas e que desde 

aquele tempo empresta seu nome para definir uma bela 

cor humana - o bronze.

Infelizmente, meus amigos, bronzeado não é mais 

fashion.

* Dr. Matta Machado 

Oftalmologista

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...