quinta-feira, 30 de outubro de 2014

B de PAIVA

O ministro aposentado STJ, Cláudio Santos, que fez teatro quando jovem estudante de direito, comentou a volta do B ao Ceará:

José Wilson
 
Conheci o B. em breve contato, na cidade do Recife, no ano de 1957, durante o I Festival Nacional de Estudantes de Teatro, organizado pelo Embaixador Paschoal. Reunimos um grupo, as pressas, eu, Eusélio de Oliveira, Hamilcar Arruda, Horário Dídimo e outros que não me recordo, fundamos informalmente o TUC, Teatro Universitário do Ceará, e graças ao Magnifício Reitor Antonio Martins Filho recebemos o necessário apoio financeiro para viajar à capital maurícia. 

O B. de Paiva dirigia um grupo amador do interior do então existente Estado do Rio (acho que o Teatro Rural de Campos), onde despontavam atores que depois se destacaram no teatro e TV brasileiros. Grandes nomes do teatro brasileiro se apresentaram lá oriundos do Escola de Arte Drmática de SP, do Teatro Duse do Rio, e de muitos outros de vários Estados, inclusive do RS (Abujamra) e lá eu assisti, entusiasmado também como estudante de direito, o julgamento de Otelo (representado pelo Paulo Autran, bem jovem) e de Hamlet (representado pelo Sérgio Cardoso).

Se não me engano o Paiva foi premiado, bem jovem, como Diretor. Um grande nome do teatro brasileiro. No Ceará, poderá ainda realizar muita coisa nas artes dramáticas.
Um abração para o B. como dizia o saudoso TT.

Cláudio Santos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...