quinta-feira, 14 de julho de 2016

"NÃO ME MORRA"

                 


Wilson Ibiapina

Eu, internado aqui em um hospital de Brasília, tento derrotar a pneumonia que se instalou no meu pulmão direito. Aproveito o repouso para devorar o livro do Vladimir Netto sobre a Operação Lava Jato. 







Vladimir Netto
O repórter da TV Globo, que também é vice presidente da Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo, ouviu cento e trinta e duas horas de entrevistas que ele fez com corruptos, corruptores e membros da força tarefa. Sem se falar na leitura de processos e o tempo gasto na checagem de informações. 

Vladimir apresenta a operação desde o início num posto de gasolina - o posto da torre - que fica no centro de Brasília. Uma história com muitos desdobramentos.

Chatô: Não me morra!
Quanto a frase que é o título desta minha nota, é de Assis Chateaubriant. Foi dita pelo Fundador dos Diários Associados no dia que ele chamou à sua sala o repórter sergipano Joel Silveira para comunicar que ele iria para a Europa , como correspondente de guerra. E fez dois pedidos: "Boas reportagens para a revista O Cruzeiro e, por favor, não me morra!".            


Como ando por aqui, brigando pela vida, repito a frase de Chatô, como se a mim fosse dirigida.

Um comentário:

  1. Querido, melhoras rápidas! Quero ler esse livro. Vi entrevista dele no Jô e fiquei super interessada. (Adorei o modelito.) MCarmen

    ResponderExcluir

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...