quinta-feira, 7 de outubro de 2010

JORNALISTAS: Ossos do ofício


O jornalista Odalves Lima, primo do Fernando César Mesquita, era do tempo do jornalismo boêmio. Tomava todas, mas a bebida nunca lhe prejudicou no trabalho. Chegou a passar meses brigando com ele mesmo, quando nos anos 50 escrevia os editorais dos jornais O Povo e Estado, de Fortaleza. Pela manhã, ele atacava o governo, no matutino Estado, que fazia oposição. À tarde, defendia o governo nas páginas do vespertino O Povo, que pertencia ao então governador Paulo Sarasate.

Conta a lenda que, numa semana santa, o chefe de redação pediu que Odalves escrevesse um editorial sobre Jesus Cristo. Ele, ainda de porre, colocando o papel na máquina: "Contra ou a favor?"

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...