quinta-feira, 14 de fevereiro de 2019

O VALOR DE UMA TRAGÉDIA


Daniela Ramalho

Da terra, da água, do fogo, do ar. Os quatro elementos deram sinal de vida num 2019 surpreendido pela força da natureza. 


Vidas inocentes, vidas jovens, mesquinhas, vidas gananciosas.  Agora viraram mortes que talvez a conta nunca feche. 

As lágrimas de barro ganharam a dor do inconformismo e engoliram a vida que brotava da terra. 

A água no teto afogou quem tentou fugir mas não sabia nadar. 


No salve-se quem puder, o alarme não tocou, a saída de emergência faltou, e eles perderam de goleada. 

Na força da fatalidade, o que é fatalidade, mesmo?


E o ar, hein? O ar tirou o fôlego de quem tentava apenas se comunicar. Todos ficamos sem voz! 

A terra levou sonhos, o ar ganhou palavras, a água castigou o lixo fora do lixo e o fogo ganhou o jogo de 10 a 0.


A conta, por favor! 

E como veio cara! Tão cara que ninguém se atreveu a pagar.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...