quarta-feira, 26 de setembro de 2012

O FOTÓGRAFO E O REPÓRTER



Dinossauros de redação



A jornalista Luana Karen usou o celular para registrar meu encontro com o decano do fotojornalismo brasileiro, o baiano Gervásio Batista. Sua história profissional está intimamente ligada à história da nossa imprensa. Começou aos onze anos, fotografando como assistente para o jornal O Estado da Bahia.Transferiu-se para o Rio nos anos 50 atendendo convite do paraibano Assis Chateaubriand, que o queria na revista O Cruzeiro. 

Gervásio conheceu o dono dos Diários Associados durante visita de Chatô à Feira de Santana. Mas foi na revista Manchete que, a partir de 1954, ele consagrou-se na profissão. Ficou com os Bloch até a revista fechar em 2000. No período em que esteve na Manchete foi escalado para registrar o dia a dia da construção de Brasília. Foi aí que nasceu seu amor pela cidade, onde mora até hoje. É dele a conhecida foto de Juscelino Kubitschek acenando com a cartola para o povo.

A famosa foto de JK

A foto saiu na capa da Manchete sobre a inauguração de Brasília. Suas fotos do enterro de Getúlio Vargas, em São Borja, no Rio Grande do Sul, também geraram um número especial da revista.
Como fotógrafo oficial dos concursos Miss Brasil e Miss Universo, Gervásio viajou o mundo para retratar a beleza da mulher brasileira no período áureo desses eventos. Fotografou Fidel Castro, Che Guevara e fez um registro diferenciado da revolução cubana. Cobriu a Revolução dos Cravos, em Portugal, acompanhou e registrou a queda do presidente argentino Juan Peron. Esteve em Saigon para registrar a guerra do Vietnã.

Teve várias passagens pela prisão, no tempo da ditadura. Como não tem engajamento político, sempre foi libertado rapidamente e sem maiores conseqüências.

Fotógrafo oficial deTancredo Neves, fez, com exclusividade, a última foto do presidente, acompanhado da equipe médica do Hospital de base de Brasília. 


Continuou como fotográfo oficial da presidência durante o governo de José Sarney. Com mais de 80 anos idade, Gervásio continua no batente. Pode ser visto diariamente no Supremo Tribunal Federal e na Agência Brasil, onde presta serviços e contamina a todos com sua simplicidade, simpatia e alegria. Um exemplo de profissional que orgulha seus amigos.




Um comentário:

  1. Grande Gervásio e grande Ibiapina. O Jornalismo deve muito a vocês!!!

    ResponderExcluir

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...