domingo, 11 de maio de 2014

LEONARDO MOTA



Há 123 anos, dia 10 de maio, 7 horas da manhã de 1891, nascia em Pedra Branca, Ceará, Leonardo Mota, que tornou-se um dos maiores folcloristas do país, estaria completando 123 anos.. Jornalista, advogado, professor, em artigo no Correio do Ceará, onde foi redator-chefe, conta que “minha “graça” foi a princípio Leonardo Ferreira da Motta Filho. Depois, Leonardo Motta Filho, passando em seguida a Leonardo Motta, mas assinando Leon Motta, por algum tempo. Afinal adotei Leonardo Mota, com um “t” só. Do mesmo modo que grafava Leotta a princíipio e, mais tarde, Leota”.

Ocupou a cadeira 28 da Academia Cearense de Letras. Entre os inúmeros livros que deixou estão Cantadores – poesia e linguagem do sertão cearense; No tempo do Lampião – histórias de cangaceiros, anedotário e notas sobre poesia e linguagem populares; A Padaria Espiritual – história do movimento literário no Ceará, de 1892 a 1898 que editava o jornalzinho O Pão e proibia seus membros recitar versos cantando, o que era moda na época; Adagiário Brasileiro, coletânea de adágios e expressões proverbiais do Brasil que Leonardo Mota Neto publica aqui no FB. 

O famoso intelectual cearense morreu dia 2 de janeiro de 1948 em Fortaleza de um colapso cardíaco. A edição especial de 32 páginas e seis mil exemplares do jornal Correio do Ceará que circulou dia 2 de março toda dedicada a Leonardo Mota esgotou-se em menos de duas horas – um fato inédito na história da imprensa de Fortaleza. Hoje, nome de rua em Fortaleza, continua vivo na memória dos conterrâneos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...