quinta-feira, 25 de setembro de 2014

LEMBRANDO AS ORIGENS



Na comemoração dos  nove anos do programa Senhor Brasil, na TV Cultura, de São Paulo, Rolando Boldrin fez todo mundo chorar, em minha casa. Ele reapresentou a entrevista com Chico Anísio, onde ele, já cansado, respirando com dificuldade, presta uma  homenagem a Belchior, que por sinal estava no auditório. Ele também se emocionou e chorou. Depois de algumas histórias e causos cearenses, Chico Anísio cantou, declamando, “Galos, Noites e Quintais:

Quando eu não tinha o olhar lacrimoso,
que hoje eu trago e tenho;
Quando adoçava meu pranto e meu sono,
no bagaço de cana do engenho;
Quando eu ganhava esse mundo de meu Deus,
fazendo eu mesmo o meu caminho,
por entre as fileiras do milho verde
que ondeia, com saudade do verde marinho:
Eu era alegre como um rio,
um bicho, um bando de pardais;
Como um galo, quando havia...
quando havia galos, noites e quintais.
Mas veio o tempo negro e, à força, fez comigo
o mal que a força sempre faz.
Não sou feliz, mas não sou mudo:
hoje eu canto muito mais.”
Veja como foi:

Um comentário:

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...