domingo, 7 de setembro de 2014

QUANDO A BRABEZA MUDA DE POLTRONA

O jornalista Silvestre Gorgulho e suas histórias mineiras: 

Silvestre Gorgulho

Ano de 1970. Domingo à noite, Jonas, um colega meu da república do MALETA (Beagá), chega esbaforido na rodoviária de Belo Horizonte e pega o ônibus da Cometa para o Rio de Janeiro. Conversa com o motorista:

- Meu amigo, preciso estar em Juiz de Fora pela manhã para a última prova de um concurso, Venho estudando direto e já não durmo há dois dias.

- OK, o que você quer.

- Olha, normalmente já sou difícil de acordar, cansado então vai ser um problemão. Quando chegar em Juiz de Fora eu queria que você me acordasse e insistisse para eu sair do ônibus. Só tenho esta maletinha de mão para facilitar. Por favor...

- Não se preocupe. Pode dormir tranquilo que eu aviso. De Juiz de Fora você não passa.

Jonas foi para a poltrona e dormiu tranquilo. Quando acorda percebe que já estão chegando no Rio. Fica furioso. Vai lá na frente e, descontrolado, começa a xingar horrores o motorista. 

Um passageiro vê aquela cena e comenta com seu vizinho de poltrona:

- Sujeito bravo esse aí, heim? Que coisa!

- Bravo esse? É porque você não viu o rapaz que o motorista tirou do ônibus lá em Juiz de Fora!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...