sexta-feira, 22 de janeiro de 2016

O CEARENSE E DOROTHY LAMOUR

Wilson Ibiapina 

"Dorothy Lamour
Com amor te matei
Sereia/
Na areia do cinema
Dorothy Lamour
Com ardor te adorei
No drama da primeira fila."
É asim que começa o poema de Fausto Nilo, depois musicado por Petrúcio Maia.


Naquele tempo, todos os jovens eram apaixonados pela artista norteamericana, nascida em Lousiana. Ela foi Miss Nova Orleans de 1931 e sonhava em ser cantora. Virou atriz aos 22 anos. Começou a fazer sucesso quando apareceu nas telas em trajes mínimos e sensuais, no papel de uma garota das selvas, num filme ao estilo de Tarzan. O papel de "Ulah" tornou-a a atriz mais cobiçada, sex-symbol do cinema americano. Virou diva.Foi assim que ela chegou às telas de Fortaleza. Aparecia com pouca roupa, despertando a fantasia e o desejo dos adolescentes. Participou de mais de 60 filmes. Atuou até 1987, quando fez seu último filme para o cinema. Ela virou um mito na literatura e na poesia. Rachel de Queiroz, num conto, apresenta a atriz como ideal de beleza no imaginário dos marinheiros, em plena segunda guerra:
"No posto de dirigíveis criava-se aquela tradição da menina do laranjal. Os marinheiros puseram-lhe o apelido de "Tangerine-Girl". Talvez por causa do filme de Dorothy Lamour, pois Dorothy Lamour é, para todas as forças armadas norte-americanas, o modelo do que devem ser as moças morenas da América do Sul e das ilhas do Pacífico. Talvez porque ela os esperava sempre entre as laranjeiras. E talvez porque o cabelo ruivo da pequena, quando brilhava á luz da manhã, tinha um brilho de tangerina madura." Na mesma linha, outro cearense, Fausto Nilo, também se encantava: "A tua cor, o teu nome
Mentira azul
Tudo passou, teu veneno,
Teu sorriso blue
Hoje eu sou
Água-viva dos mares do sul
Não quero mais chorar
Te rever, Dorothy Lamour"


E foi com esse encantamento que Fausto Nilo, um dia em visita aos Estados Unidos, decidiu conhecer sua musa pessoalmente. Através de amigos americanos acertou o encontro que seria no rancho em que ela morava perto de Los Angeles. No dia combinado, um portador chegou para avisar que a visita estava cancelada. Velha e feia, não queria que seu fã, Fausto Nilo, mudasse a imagem que tinha dela.Dorothy Lamour - pseudônimo de Mary Leta Dorothy Slaton-  morreu aos 81 anos. em  22 de setembro de 1996. Ataque cardiaco, enquanto dormia. Deixou os filhos Richard Thompson Howard e John Ridgely Howard. Ficou a  saudade da bela mulher que levou  Fausto Nilo "naufragar em seus olhos de mar azul".





2 comentários:

  1. Como era bela e envelheceu bela! Uma linda e certeira homenagem de Fausto Nilo!!!!,

    ResponderExcluir
  2. Como era bela e envelheceu bela! Uma linda e certeira homenagem de Fausto Nilo!!!!,

    ResponderExcluir

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...