segunda-feira, 16 de agosto de 2010

COISAS DO OUTRO SÉCULO

Gamaliel Noronha


O radialista Gamaliel Noronha, na Fortaleza dos anos 60, animava um programa na rádio Dragão do Mar. A televisão não existia e o rádio predominava. Era o maior sucesso. Ele entrava no ar ao cair da tarde, naquela hora em que acaba o expediente e todos estão indo pra casa ou tomando uma no boteco.


O programa Alma Sertaneja tinha o maior auditório do Ceará e do Nordeste: uma poltrona em cada lar, como dizia o Ivan Lima. A música que Gamaliel mais gostava, Belém de Maria, ecoava nas residências, nos botecos, nos carros.


Um rapaz que trabalhava na Bananada do Pedão, uma lanchonete que fazia vitaminas e sucos de frutas no Abrigo Central, na praça do Ferreira, era louco pelo programa e pelo Gamaliel. Ligava o rádio no último volume, telefonava e o Gamaliel colocava no ar: - Maiel, fale neu, no Colais ( Colares, assessor do Pedão) e no Niuto ( Newton Pedrosa). Aí, passe, aqui no Abigo para tomar uma verdinha (vitamina de abacate).

Quem não tem saudade dum tempo desse?


Wilson Ibiapina

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...