segunda-feira, 20 de julho de 2015

O BRASILEIRO GOSTA DE LER?

 
 
Wilson Ibiapina

 
 
É comum ouvir que  brasileiro não gosta de livros. Sabe que é importante, mas não tem saco pra leitura. Igor Thiago, no blog Sete Coisas, lembra que o problema é antigo: “muitos brasileiros foram do analfabetismo à Tv sem passar na biblioteca".
 
Buenos Aires, aqui ao lado, é considerada uma cidade biblioteca. Tem livrarias em tudo quanto é canto. É comum encontrar na rua um argentino carregando um livro debaixo do braço. Falam isso quando querem nos comparar aos los hermanos.
 
Na China, quando o imperador Zhu Di fundou a cidade proibida, em Pequim, criou junto uma biblioteca gigante. Em 1378 tinha a maior coleção de livros do mundo, uma enciclopédia de 4 mil volumes, com cerca de 50 milhões de caracteres. Quando a Europa ainda não conhecia a tipografia, romances impressos eram vendidos em barracas no mercado de Pequim. Na época, a biblioteca de Henrique V, na Inglaterra, tinha seis livros manuscritos, três dos quais emprestados a ele por um convento de freiras.
 
O habito da leitura vem de longe. O editor de livros da revista Época, Danilo Venticinque, não acredita nessa história de que o brasileiro não lê. E cita dados da Câmara Brasileira do Livro: a produção anual de livros se aproxima dos 500 milhões de exemplares, o que classifica o Brasil como o nono maior mercado editorial do mundo.
 
Todo mundo sabe que sem leitura, sem conhecimento, fica mais difícil entender as questões que estão atormentando o nosso dia a dia. Sem argumentos não se pode discutir a economia, a política, a crise ética. Fica mais fácil de ser enganado.
 
Acho que um dos entraves deve ser o preço do livro. Além de não ter o acesso à biblioteca facilitado. Falta também estímulo. Não se pode gostar do que nunca se provou. O escritor baiano Laé de Souza, em artigo no Observatório da Imprensa, diz que entristece quando visita escolas e encontra bibliotecas ou salas de leitura trancadas a sete chaves. Quantos leitores são perdidos pelo excesso de zelo? Pergunta ele.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...