segunda-feira, 8 de junho de 2015

DE OLHO NOS ÍDOLOS

 


Ronan Soares
 
No fim dos anos 50, comecinho dos 60, estava com meu tio Heli, então prefeito recém eleito de Anápolis, no Palácio da Alvorada, para uma audiência com o presidente Juscelino. Os ajudantes de ordem autorizaram nossa entrada e mandaram a gente ficar no salão ao lado da sala dele, aí uma hora, ele próprio, JK, abriu a porta e vimos que ele estava ao lado de três pessoas em pé, e ele disse: "estou aqui me despedindo de uns amigos, e já falo com vocês", aí a porta estava aberta e meu tio perguntou quem eram os amigos, no que eu respondi: "Simone de Beauvoir, Jean-Paul Sartre e Jorge Amado", e falei brincando pro meu tio: "hoje é nosso dia, ele só está recebendo gente importante!".
Eu tinha 20 anos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

UM CEARENSE SURREAL

Wilson Ibiapina Darcílio Lima ainda jovem, no apogeu criativo O cantor e Compositor Raimundo Fagner, que também é pintor, foi quem lembrou-m...